Roma em Fevereiro

 O Jp fez 60 anos em Fevereiro. E os sessenta dão direito a uma extravagância, com a ajuda dos low cost:). A dele foi acordar em Roma , a cidade onde tantos anos viveu, e da qual sofre um verdadeiro sindrome de abstinência. E eu ...desenhei durante 48 horas!









Manif. Quando pára uma cidade

 E já que cortaram as ruas e ninguém pôde passar, e uma cidade parou , e o telefone  tocou e voltou a tocar- "desculpe, mas não consigo chegar a tempo da consulta" -  mais vale contar até três e não desesperar.
 É desenhar, e ver a banda passar!

Desenhar por Desenhar

Ao Desenhar por desenharão se chega. Vai-se chegando, que não há pressas. Um café, dois dedos de conversa, umas pinceladas  e o tempo passa, tranquilo, como se quer o tempo das tardes de domingo. 
E se há sol, melhor. E se há caras novas, melhor. E se há sketchers de fora, melhor. E se há carimbos, melhor.
 É assim, o Desenhar por Desenhar: cada vez melhor:)


Um aniversário muito especial

Neste fim de semana de 11 novembro fui visitar o meu filho  mais novo que está em Erasmus no vale do Reno, na Alemanha,  Fez 20 anos no domingo e teve a surpresa da visita dos dois irmãos mais velhos, de um primo e ainda de outros amigos.
 Estou habituada a desenhar "em família" mas assim, com 7 miúdos à minha espera, o caso tornou-se mais grave. Uma coisa é certa:  não me podia vir embora sem tentar desenhar  as cores quentes e irresistíveis do Outono frio e dourado que  ali se faz sentir, por isso desenhei  a correr, "às três pancadas" ou, como dizia o meu avô ,  "tudo à matroca"! Não me importo. Ficam para recordação de  uns dias inesqueciveis! Agora, todos juntos outra vez , só no Natal (o que, nos tempos que correm, já é muito bom :))








Monção - Minho

Adorei Monção, mas mais ainda os seus arredores, capelas, vilas de pastores agora abandonadas, recantos fluviais. Nunca tinha feito uma residência artística assim.Que experiência! Pena ter chovido tanto, e terem sido poucos dias.





















Ainda o Verão de 2018

 Boa ideia esta dos parisienses, de fazerem uma praia artificial nas margens do Senna. 
Podem estar a trabalhar e pode estar muito calor mas aqui, ao fim do dia, entre sombras, espregiçadeiras, duches e  repuxos podem descansar tranquilamente e com  um cheirinho a praia!
 

Reconciliei-me com Paris: visitei bairros menos conhecidos, encontrei recantos calmos, feiras de rua, esplanadas e pessoas simpáticas, ao contrário do que muitas veses aqui acontece...

 E por fim a visita ao pére Lachaise e ao jim Morrison, que tem um ambiente dum misticismo  indiscritível!





Turcos em Wiesbaden





















 Wiesbaden é uma cidade termal,das mais antigas daEuropa, muito, chique, muito burguesa, mas o que mais me apeteceu desenhar foram uns velhotes turcos, sentados num banco à conversa, com os seus "terços"  sempre a rodar por entre os dedos (Tesbiye ou Komboloi, não sei como lhes chamam). Estavam descalços, a mexer nos pés, à boa maneira turca, indiferentes ao que os rodeava, deliciosos. E eu não resisto a uns bons pés :))







Mas a cidade é linda...

Urlaub in Deutschland

Depois da Toscana - e com a desculpa de ir "deixar o Luís em ERASMUS" - seguimos para o Vale do Reno. Aqui a música é outra. Vinhas a perder de vista, muito sol, feiras de vinho, mercados fervilhantes com  bancas com Riesling de todas as cores e feitios, Bratwurst, Currywurst, Weiswurst, e outros tipos de wurst,   brot e muita mostarda.
Em MAINZ, depois de ver uma bela exposição de Urbansketching de onde tive de ser arrancada a ferros, desenhei o desmontar de um dessses mercados

Sienna


1. EM CASA
Em Agosto fizemos umas férias muito giras. Desta vez só com o Luís (que viriamos a deixar na Alemanha, em Erasmus) já que com os 3 já tinhamos estado este ano em NY e no Pico...e já foi muito bom:).
Começámos por Sienna, onde ficámos em casa dos nossos amigos italianos António e  Ester.









É uma casa de campo, a uns 5 kilómetros de Sienna, de paredes grossas, panos de linho 
pendurados nas janelas, interior fresco, Toscana a perder de vista, muitos ocres, amarelos, cheiro a figueiras, redes espalhadas no campo, esperguiçadeiras perdidas em sítios estratégicos de sombra ou corredores de vento.
E acordar com gatos  aos pés da cama, manhãs  calmas, muito café, a mesa de pedra, a cozinha ainda na penumbra. Cosa vuoi fare oggi?  Andiamo a Murlo? E assim foi, um dia aqui, um dia ali, pelas tórridas vilas toscanas, a passear, a conversar, a desenhar. 


Com tempo, com muito tempo,  até à hora dos inesquecíveis  cozinhados do António.  
Luiggi, vuoi venire a prendere pomodori?





 Se todas as férias têm uma memória gastronómica e sensorial,  Sienna é sem dúvida tomate coração de boi, grande, magenta, suculento, sem sementes, acabado de apanhar na horta ao lado de casa. 


E à noite, no campo, bem no escuro,   chi vuole un bicchiere di champagne? deitados a olhar para o céu à espera da chuva de estrelas, ecco lá, quanto era grande!dove? no vedo niente! me vado a nord! 









2. SIENNA



 3. CHIUSI


 
 


4. MURLO
Em Murlo faz muito calor. Ao fim da tarde os vizinhos trazem as cadeiras para a rua. Corre uma brisa, e Se está bene, dizem sorrindo com um aceno de cabeça. A ali fcam, imóveis, à conversa,  a refrescar, até ao cair da noite qué  ora vado a casa,  preparare la cena.




5- As Praças de SIENNA
Quem  conhece a Praça do Palio não a reconhece neste desenho, mas sabe também  o quanto  desenhá-la é uma tarefa difícil, a roçar o impossível, pelo menos para mim.
 Não faz mal.Como dizia a minha avó, "a intenção é que conta" 

Mas praças lindíssimas não faltam em Sienna. E umas são mais fáceis que outras...



6. O DUOMO
Preparava-me eu para começar um desenho do Duomo de Siena - daqueles muito tranquilos e com muito tempo, que tanto gosto de fazer- quando, de repente, tudo ficou invadido por uma procissão dos representantes das 'contrade'(bairros rivais no Palium de siena). Por sorte este é o segundo tipo de desenhos que mais gosto de fazer 😊:frenéticos, mal-amanhados, a tentar apanhar tudo o que está a acontecer naquele breve instante: porta-estandartes, mascarados,bandeiras, rufar de tambores, eclesiásticos e, claro, muitos turistas! Fica uma salganhada, mas eu gosto:))