Nantes, ou a impossibilidade de desenhar

Estou habituada a viajar em família, onde cada um atura e respeita as "secas" uns dos outros: há quem desenhe, quem filme, quem fotografe, quem passe horas em livrarias, quem corra tudo por um pingo de internet....Aí sim, posso desenhar! Desta vez fui a Nantes, onde andei sempre com uns  amigos franceses supermaravilhosos mas a quem não  quis dizer "vão dar uma voltinha e venham aqui ter daqui a meia hora". Conclusão: não desenhei. Mas como me apetecia tanto, consegui uma gatafunhada enquanto eles se distrairam com "n'importe quoi"


 Da janela de casa fiz outros dois, muito rápidos e à socapa, da rua sempre agitada:
 um, num fim de tarde escuro e chuvoso;  outro, de dia, durante uma aberta:



E por fim os nossos anfitriões, a quem oferecemos o livro do Mário Linhares que, escusado será dizer, adoraram:

Merci!