No Tejo, com chuva, salpicos....e o almirante Queiroga!

Um passeio  de barco pelo Tejo, ao fim da tarde e com amigos, é irresistível de desenhar.
Mas, quando a chuva é tanta que molha o caderno,  o vento leva folhas pelo ar e insiste em pôr cabelos à frente dos olhos, e o frio desperta o Sindrome de Raynaud nas minhas falanges, os desenhos saiem toscos e "gatafunhados". Ainda assim,quando os vejo,  relembram-me bem tudo isto e, portanto, mesmo mauzinhos, eu gosto deles :)