Nantes

 Já vem sendo uma tradição, este simpático fim de semana em Janeiro "chez Annie et Alain", em Nantes. Começa sempre com uma bela e demorada ida ao mercado, bem cedinho, onde não consigo desenhar para que ninguém espere por mim. Já em casa, depois das ostras bretãs, vou fazendo o que se pode...


À noite, os amigos de infância ficam à conversa, trocam bandas desenhadas, contam piadas,  recordam histórias antigas...As barriguitas cresceram  mas, de resto, tudo continua igual:)

Nos passeios pela cidade muitas  e muitas coisas chamam pelos cadernos na mochila, mas... não pode ser! Só um desenhito muito rápido mesmo à porta de casa e outro, da janela da sala, sobre os telhados negros e chaminés atijoladas. E ainda  um, de um pedinte-  não o único que vi- a relembrar que afinal o desemprego e a misérioa  existem também por toda a Europa









 No domingo, chuviscou e estava frio. Numa espécie de " Marché aux Puce" os nossos amigos quiseram comprar uma cómoda. Felizmente a transacção ainda demorou uns instantes, suficientes para eu  tentar apanhar uns vendedores e compradores muito peculiares e preparados para o frio, que em casa calmamente pude definir melhor.



E, com um desenho na sala de embarque, acaba o fim-de-semana!