No jardim da Estrela, com Mário Linhares

Hoje, no Jardim da Estrela, o Mário pôs-nos a desenhar árvores e sugeriu que limitássemos um espaço dentro do diário gráfico para ajudar a conter o traço e contrariar a tendência natural de fazer grande o que é ...grande!

Depois tentámos desenhar uma belíssima, enorme e muito velha árvore, com ramos de infinitas inclinações, e com  sombras e folhagens completamente indesenháveis para o meu lápis:)
 "Uma árvore  é uma lenta explosão de uma semente"...

E aqui estamos nós, registados pela Sic. He he...