Os meus "cadernos" do Kerala

Nesta viagem, como já referi, levei um caderno da Ketta (maravilhoso, claro!) mas, antes de partir, tive a sábia intuição de que não me iria chegar.
Colei então, à última da hora, uns amontoados de restos folhas que tinha em casa (bem à matroca, como sou "especialista"!), a que não posso chamar cadernos - e aos quais  espero que as Kettas, Sofias e Marilisas desta vida nunca ponham a vista em cima :)) - mas que, tenham que nome tiverem, me vieram a dar muito jeito! Não há pior que querer desenhar e não ter onde, não é?
Hesito em pôr aqui tudo o que para lá desenhei. É monótono e cansativo. mas acho que não tenho outro remédio pois para mim  o blog é, também, como uma grande estante, um sítio onde guardamos ordenadamente tudo aquilo de que não nos queremos desfazer e não sabemos onde pôr...








No final o resultado é mais ou menos assim: